segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Feliz 2008!!!

Fogos de Artifício


Amanhã

(Guilherme Arantes)


Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria

Que se possa imaginar, amanhã redobrada a força

Pra cima que não cessa, há de vingar


Amanhã mais nenhum mistério, acima do ilusório

O astro rei vai brilhar, amanhã a luminosidade

Alheia a qualquer vontade, há de imperar, há de imperar


Amanhã está toda a esperança por menor que pareça

O que existe é pra festejar, amanhã apesar de hoje

Ser a estrada que surge, pra de trilhar


Amanhã mesmo que uns não queiram será de outros que esperam

Ver o dia raiar, amanhã ódios aplacados temores abrandados

Será pleno, será pleno...

domingo, 23 de dezembro de 2007

Feliz Natal!









Desejo a todos um Feliz Natal!
Abraços, Ivana.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Aula Presencial de Artes

No dia 17/12 tivemos aula presencial de Artes Visuais com o Professor Bento Fagundes de Abreu e com a Tutora da Sede Maura Marques de Souza Nunes.
Fizemos uma retomada dos eixos estudados no semestre e para finalizar trabalhamos com as obras de Candido Portinari.
A turma foi dividida em grupos: separados em salas diferentes, pois não podíamos ver as obras dos outros grupos. Cada grupo recebeu uma obra para fazer uma descrição detalhada. No segundo momento tínhamos que reproduzir a obra descrita por outro grupo. Fiz parte do grupo número seis, e recebemos a obra "Meninos empinando pipas".

Como sempre a aula foi maravilhosa, aprendemos mais uma vez várias maneiras de trabalhar a Arte em sala de aula.

Veja no Slide o registro fotográfico da Aula.

Fotos: Solange Molina Sentinger.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Visita a ULBRA

No dia 13/12/2007, levamos os alunos das 4ªs séries das Professoras Adriane, Ivana e Tatiana da Escola Mário Quintana - CAIC para visitar a Universidade Luterana do Brasil, ULBRA em Canoas pelo projeto do Professor Dr. Da Costa que proporciona atividades recreativas aos alunos das escolas públicas. No primeiro momento os alunos e professores visitaram o Museu do Automóvel acompanhados dos monitores, no segundo momento a turma foi dividida em dois grupos por idade: enquanto um grupo praticava jogos nas quadras de esportes, os quais poderiam escolher entre Futebol de salão, volei ou basquete; o outro grupo participou de uma maravilhosa aula de natação (os grupos praticaram as mesmas atividades) e para encerrar, saborearam um lanche delicioso.

Veja as fotos no slide:


terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Aula Presencial de Ludicidade



No Slide fotos da atividade de criar brinquedos/jogos com sucata.

No dia 10/12 tivemos aula com a Professora Neusa Maria Carlan Sá e com a Tutora da Sede Simone Ramminger.
Esteve presente também a Alessandra - Jornalista colaboradora do Jornal On line do PEAD, ela nos fotografou para a primeira matéria.
Após considerações, assistimos a apresentação do Power point com alguns dos nossos relatos no Fórum dos Sonhos, da Interdisciplina de Ludicidade e Educação.
Logo após participamos da atividade onde deveríamos construir brinquedos e/ou jogos com sucata.
A Solange e eu construímos um caminhão.

Fofoca do ano: a Solange conseguiu fazer o caminhãozinho andar, ficou tão feliz com o feito, que parecia que tinha seis anos de idade, brincando no chão, no meio da sala, enquanto a professora organizava a apresentação dos trabalhos, eu filmei, olha a cara de felicidade, de realização dela... Não estava nem ai se a professora estava explicando alguma coisa importante ou se ia levar um xingão...

É exatamente nessa hora que eu compreendo meus alunos...


sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Formatura do PROERD



No slide fotos dos alunos da Turma 46 durante a solenidade de formatura das turmas das 4ª séries que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) da nossa Região na Escola Municipal Normélio Barcellos. Estavam presentes alunos das escolas Normélio, Campos Verdes e Mario Quintana.

A Turma 46 participou do programa com aulas nas segundas-feiras durante o segundo semestre, ministradas pelo Soldado Silveira. A aula iniciava às 8h e 30 min. e enquanto aguardávamos a chegada do Soldado, dentre outras atividades, os alunos faziam bilhetes com perguntas que colocávamos numa caixinha para o Soldado Silveira responder esclarecendo as dúvidas das crianças.


O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) é uma iniciativa da Polícia Militar de prevenção para crianças do Ensino Fundamental até o Ensino Médio; os pais também recebem orientações em reuniões e palestras, representando um esforço cooperativo entre as Escolas, Pais e Polícia Militar. O PROERD é baseado no Programa Americano chamado D.A.R.E (Drug Abuse Resistance Education).


Visite o site do PROERD

sábado, 24 de novembro de 2007

Consciência Negra







As Celebrações da Consciência Negra na Escola Municipal de Ensino Fundamental Alfredo José Justo, em Alvorada, ocorreram durante a semana com várias ações realizadas pelos alunos e professores da escola, como exposição dos trabalhos, preparo e degustação de comidas que são contribuições da cultura africana, ainda contamos com as ações: No dia 21 de novembro, houve uma missa Afro em nossa Escola, promovida pela Secretaria Municipal de Educação, com a participação de todas as Escolas Municipais de Alvorada e da Comunidade em geral. No dia 22 de novembro de 2007, realizamos atividades nos turnos da manhã e noite (SEJA), junto aos educandos dos dois turnos, como parte das ações de combate ao preconceito. Convidamos os Grupos de Danças Afro da Escola Estadual Campos Verdes, dirigido pela professora Isabel e do Centro Florestan Fernandes, dirigido pela Professora Rita. Também contamos com a apresentação do Grupo Musical do Florestan Fernandes, dirigido pela professora Lúcia. No turno da manhã, um grupo de alunos da turma 62 apresentou um trabalho de teatro, realizado nas aulas de Artes do Professor Artur, e criado por eles, contextualizando o tema preconceito.

As fotos não ficaram muito boas porque ainda estou aprendendo a usar a minha câmera nova que é bem diferente da que eu tinha que era bem mais sofisticada.
Abraços, Ivana.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Música na Escola







Composição:

Assis Valente

Anoiteceu
O sino gemeu
A gente ficou
Feliz a rezar
Papai Noel
Vê se você tem
A felicidade
Pra você me dar

Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel
Bem assim, felicidade
Eu pensei que fosse uma
brincadeira de papel
Já faz tempo que pedi
Mas o meu Papai Noel
não vem

com certeza já morreu
Ou, então felicidade
É brinquedo que não tem

Clique aqui para acessar a página Café Brasil Podcast

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Aula Presencial



Foi uma noite muito agradável: em teatro podemos vivenciar na prática as teorias de Viola Spolin - POC ou Ponto de Concentração e a Instrução, quando estávamos fazendo o exercício não liguei a teoria estudada, mas quando o professor fez suas considerações, lembrei de tudo.

Na aula de Literatura assistimos a Contação de Histórias que os grupos prepararam, foi maravilho, temos colegas que são verdadeiras artistas.

Claro que eu tinha que esquecer uma das minhas falas, faz parte!

Vejam no slide as fotos que consegui captar no encontro e as que eu peguei no Blog da Tutora Vanessa.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

MPB para crianças








Para elaborar a atividade onde iria introduzir a história da MBP e trabalhar o Passo de Lucas Ciavatta com os meus alunos, fiz uma pesquisa na rede para ver se encontrava mais subsídios, pois ainda não me sito segura para trabalhar a Música além de simplesmente cantar com meus alunos e encontrei vários sites e propostas que me auxiliaram na escolha das músicas que irei trabalhar.
No site Cantos e Encantos encontrei várias idéias.
Vou ver com as crianças dentre as que eu consegui os CDs, quais as que eles querem exercitar. Nossa isso vai ser de "lascar" como dizia o meu pai, não sei se vou fazer besteira, eu não tenho a mínima noção técnica de música, mas vou tentar familiarizar as crianças com o vocabulário musical usando a expressão melodia para referir-me à entonação das crianças e ritmo para referir-me à marcação do tempo.
Já disse a eles que não domino muito o assunto e que ainda estou aprendendo e eles adoraram a idéia de me ajudarem a aprender.
Logo postarei as propostas de trabalho e o relatório com as imagens das nossas aulas de Música.



Postagem concluída e publicada em 24/11/07.


Obs.: Os alunos trouxeram seus CDs para a aula e a grande maioria era pirata, essa ação desencadeou uma discussão muito boa:


  • Eles não sabiam o que significa "pirataria";
  • Que copiar música e filmes na internet é "pirataria";
  • Que "pirataria" é crime;
  • Que não podemos copiar as criações alheias;
  • Nunca tinham ouvido falar em Direitos Autorais.
Imagem garimpada na web - Royalts Free

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Atividade do Seminário Integrador III

Para realizar essa atividade, eu deveria explorar o Blog Relatos de Experiências e escolher dentre tantas postagens uma e fazer uma leitura analítica, fiz isso durante sete dias. Li os relatos e encontrei um número infindável de atividades que posso aplicar em sala de aula e algumas atividades que já experienciei com meus alunos. Foi uma tarefa árdua, elencar uma única postagem num universo vastíssimo, mas o fiz e escolhi a postagem do dia 02/12/2005, realizada pela Professora Iris às 9 horas e 9 min., sob o título: Comunicando com o Mundo.
A minha escolha se deu, principalmente, por esta ser uma experiência vivenciada por alunos que cursam a 4ª série do ensino fundamental e por trazer uma gama enorme de atividades que possibilitam a construção de vários conhecimentos a medida em que as atividades se desenvolviam.

Essa postagem relata uma experiência vivenciada por alunos do Colégio Estadual Almirante Tamandaré em São Pedro da Aldeia - Rio de Janeiro - Brasil.
A autora do Projeto é a Orientadora Tecnológica, a Professora Denise Domingues Moreira da Silva que contou com a colaboração das Professoras de Turma: Olga da Conceição Araujo Lessa e Neuza Maria Araujo Ramos de Oliveira.
O projeto foi desenvolvido a partir do livro "Carta Errante, Avó Atrapalhada, Menina Aniversariante" de Mirna Pinsky, editora FTD, que trata principalmente sobre um meio de comunicação: a carta.

Os alunos foram estimulados a se imaginarem no futuro: trabalhando numa editora e seu chefe lhes envia suas tarefas pelo computador. A cada aula foi acrescentada uma nova tarefa.

O projeto tinha como objetivo principal o uso de novas tecnologias no ambiente escolar, em especial o uso da internet e do e-mail, de modo que ao mesmo tempo estivesse desenvolvendo competências necessárias para uma participação ativa sobre a sociedade e aumentando a eficácia do ensino.

Atividades Desenvolvidas:
  • Análise e comentário sobre a capa do livro, observando também autora e editora;
  • Elaboração de uma suposta história e desenhos dos personagens à partir do que observaram na capa do livro;
  • Passarem na biblioteca e retirar o livro para leitura em casa;
  • Digitação da história, o que proporcionou um maior conhecimento e manuseio do teclado e do mouse, além do desenvolvimento das habilidades de escrita:
Para esta atividade cada turma foi dividida em três Grupos que digitaram:
Grupo 1: Era uma vez, a avó atrapalhada que só vivia no pé da neta, que estava fazendo aniversário.Um belo dia, na festa da menina, a avó se atrapalhou e caiu em cima do bolo e a neta ficou desesperada e saiu chorando e falou que nunca mais queria festa.

Grupo 2: Era uma vez, uma menina que estava fazendo aniversário. A avó mandou uma carta dizendo que iria à sua festa. Chegando lá, a avó preparou um bolo com confetes e muito mais. A menina ficou muito contente com a idéia e fizeram a festa. Tinha bala, refrigerante, pipoca e muito mais. Fizeram uma festa e tanto e a menina ficou muito feliz com a avó.

Grupo3: Era uma vez, a avó atrapalhada que só vivia no pé da neta, que estava fazendo aniversário. Um belo dia na festa da menina a avó se atrapalhou e caiu em cima do bolo e a neta ficou desesperada e saiu chorando e falou que nunca mais queria festa.
  • Leitura do livro e comentário em sala de aula; (Os alunos envolvidos no projeto gostaram tanto do livro que sugeriram incentivar aos demais alunos da escola a lerem o livro. Para isso decidiram fazer cartazes e colocar em um mural);
  • Entrevistas com os responsáveis, familiares e amigos sobre como se comunicavam antigamente e como se comunicam hoje em dia;
  • Com o retorno das entrevistas, comentar as respostas e montar um cartaz;
  • Palestra do carteiro. A professora Olga conseguiu agendar uma palestra com o carteiro sobre a importância dos meios de comunicação e as regras básicas de endereçamento postal;
  • Pesquisa sobre os meios de comunicação utilizando livros, revistas e internet. Foi sugerido o site Museu do Telefone;
  • Estabelecer comunicação com a autora para saber um pouco mais sobre sua vida através de mail;
  • Elaborar, em conjunto, um mail para cada turma. - "Neste momento surgiu um problema: Não tínhamos o e-mail da autora, como poderíamos fazer? A solução veio de um aluno, que com o livro na mão, descobriu o e-mail da editora FTD que se encontrava na capa. O mail foi enviado e os alunos vibraram quando, na aula seguinte receberam a resposta da FTD e da própria Mirna Pinsky indicando seu e-mail para contato. Foram trocados vários mails, inclusive uma entrevista". Os mails
  • Entrevista com Mirna Pinsky. A entrevista foi elaborada com sugestões dadas pelas turmas e enviada para o mail indicado. Entrevista junto com o mail
  • No final dos trabalhos os alunos fizeram anotações sobre o que descobriram em suas pesquisas e durante todo o projeto. Produziram um texto em sala de aula com as principais informações. Textos produzidos pelos alunos

Cosiderações: Ao chegar ao final deste relato, percebo que ao elaborar o planejamento em conjunto: a Orientadora Tecnológica e as professoras que atendem as turmas de 4ª série do Ensino Fundamental da escola, estabeleceram uma rede de aprendizagens ao incentivaram o uso da biblioteca, da leitura, da escrita, da comunicação, da pesquisa e desencadearam a construção de conhecimentos significativos por seus alunos.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Aula Presencial da Interdisciplina de Música na Escola - A



Na aula praticamos O passo que é um método de Educação Musical criado por Lucas Ciavatta, publicado em 2003 e, atualmente, utilizado no Brasil e no Exterior.

"O Passo não trabalha visando este ou aquele tipo de realização. Ele trabalha com a construção de uma base, algo que traz inúmeras possibilidades e abre uma porta, não apenas para os ritmos e os sons, mas para a rítmica como um todo e para uma real aproximação com o universo sonoro."
Com as práticas realizadas, aprendi que existe uma possibilidade de ensinar música às crianças bem diferente das que eu conhecia (espontaneísta), pois eu ainda não tenho muito conhecimento teórico sobre o assunto e ainda não me sinto capacitada, mas já sei que caminho posso percorrer para buscar esses saberes e tenho plena consciência de que tenho muito a aprender.

sábado, 10 de novembro de 2007

Aula Presencial de Artes Visuais


No slide veja as fotos da vistação.

Hoje nos encontramos para mais uma aula presencial de Artes Visuais com o professor Bento Fagundes de Abreu em visitação à exposição da 6ª Bienal do Mercosul.
No Margs apreciamos as mostras monográficas de Francisco Matto e de Öyvind Fahlström e no Santander Cultural a de Jorge Macchi.

Francisco Matto
Francisco Alberto Matto Vilaró (1911 -1995) nasceu em Montevidéu, Uruguai, em 1911. Não freqüentou o colégio; sua educação se deu por meio de tutores na própria casa. Também estudou desenho e pintura com Carlos Rúfalo. Aos 21 anos, comprou cestas dos índios Onas e as suas primeiras peças de arte ameríndia, já manifestando seu interesse e a futura influência da arte pré-colombiana em sua carreira artística. A coleção do artista tornou-se, em 1962, o Museu de Arte Pré-Colombiana. Matto começou a pintar obras em tábuas de formato irregular, sobre temas religiosos, que seriam uma constante ao longo de sua vida. O marco de sua carreira, contudo, ocorreu em 1939, quando conheceu Joaquín Torres García, com quem criou, em 1942, o Taller Torres-García. No ano seguinte, escreveu Carta Pictórica, La Geometría en el arte moderno (livro não publicado), que pressagia uma mudança importante em sua obra. Entre as suas diversas exposições individuais temos: Francisco Matto: Elemental Forms, Galería Ramis Barquet, Nova York (2005); Francisco Matto: Poesías y Pinturas/1935-1945, Galería Oscar Prato, Montevidéu (2003); e Matto: Totems, Portraits and Graphisms, Cecilia de Torres Gallery, Nova York (1999). Algumas de suas participações em exposições coletivas foram: Modernism em Montevideo, Nova York e Buenos Aires (1930-1970); Cecilia de Torres Gallery; I Bienal de Arte do Mercosul, Porto Alegre; Heterotopias, Museo Reina Sofía, Madri; Le Cercle de Torres-García, Zabriskie Gallery, Paris; XV Bienal de Arte de São Paulo. Sua obra encontra-se, entre outras, nas seguintes coleções: Museo Nacional de Artes Plásticas y Visuales, Montevidéu; Jack S. Blanton Museum, University of Texas, Austin, Texas; e Museo de Bellas Artes, Caracas.

Öyvind Fahlström
Öyvind Axel Christian Fahlström (1928 - 1976) nasceu em São Paulo, Brasil, em 28 de dezembro de 1928. Como sua obra está protegida por direitos autorais, não irei transcrever sobre este artista, mas você pode ler sobre sua vida e obra no link Fahlström

Jorge Macchi
Jorge Macchi nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1963. Estudou artes na Escuela Nacional de Bellas Artes de Buenos Aires e em 1987 recebeu o Título de Professor Nacional de Pintura. Atualmente vive e trabalha em Buenos Aires. A cidade, o cotidiano, a violência e o destino são temas das criações do artista que trabalha em diversas mídias, incluindo instalações, pinturas, vídeos e fotografias. Macchi também se interessa por temas que ultrapassam o campo das artes visuais, tendo se aproximado da escrita e da música. Ele começou nas artes estudando piano, ou seja, não é por acaso que a música aparece em seus trabalhos em parceria com músicos. O artista trabalha com a noção de informação, fazendo suas obras a partir de jornais, mapas de cidades e de metrô misturados com música e outras mídias. Macchi não faz questão de produzir obras com grandes instalações e tecnologias. O charme de seu trabalho reside na re-contextualização de elementos cotidianos em pequena escala, mas com grande intensidade. Ele permeia sua produção por uma abordagem sutil de questões políticas e de como as informações veiculadas pelos jornais servem para construção de novos significados e narrativas. Ao longo de sua carreira, foi artista residente em diversos países, como: Estados Unidos, Itália, Alemanha, Inglaterra, Holanda e França. Seu trabalho faz parte das seguintes coleções: Tate Modern, Londres; Museo de Arte Moderno de Buenos Aires; Museo de Arte Contemporáneo de Amberes (MUHKA), Bélgica; Fundación Arco, Espanha; Museo deAarte Contemporáneo de Vigo, Espanha, entre outros. Macchi foi exposto em inúmeras coleções individuais, entre elas estão: Light music, University Gallery, University of Essex, e Firstsite, Colchester, Inglaterra (2006); Time machine, Galería Distrito4, Madri, Espanha e Doppelgänger, Galería Ruth Benzacar, Buenos Aires, Argentina (2005); Galería Luisa Strina, São Paulo, Brasil (2003); Le 10Neuf, Centre regional d’art contemporain, Monbéliard, França e Nocturno, Centro Cultural Recoleta, Buenos Aires (2001) e The wandering golfer, Museo de Arte Contemporáneo de Amberes MUHKA, Bélgica (1998). Sua participação é freqüente em exposições mundiais, destacando-se: 27° Bienal de São Paulo, Brasil (2006), cujo cartaz Macchi foi escolhido para produzir, Bienal de Veneza e Bienal de Praga (2005); Bienal de São Paulo (2004); IV Bienal do Mercosul, Porto Alegre, Brasil e 8ª Bienal de Instambul, Turquia (2003), Bienal de Fortaleza, Brasil (2002) e Bienal de Havana, Cuba (2000).

Prova Brasil



Na última sexta-feira, dia 09/11/2007, meus alunos prestaram a avaliação do MEC, a examinadora comentou que a turma terminou os blocos de respostas muito antes do tempo que dispunham. Comentei que isso é uma faca de dois gumes: eles podem ter respondido qualquer coisa sem ter refletido melhor sobre as questões ou a turma pode estar com nível bom de leitura e interpretação - fico com a segunda hipótese - todos têm leitura fluente e fazem uma boa interpretação do que lêem.
Havia conversado com as crianças sobre a avaliação, explicado quais eram os objetivos e quais as suas implicações.
Quanto ao questionário que respondi, deveria ter outras opções ou um espaço para justificar algumas respostas, visto que várias questões não tinham alternativas que correspondessem a realidade da escola onde trabalho.
Participei de outras avaliações do MEC em anos/décadas anteriores e achei a deste ano melhor, pois trouxe questões que indagam sobre o cotidiano da escola e desta vez os professores e diretores também foram questionados.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Atividade do Seminário Integrador III

Período da atividade: 08/11 a 18/11/07.

Entrem no blog "Relatos de Experiências" e naveguem por suas postagens. Elas são muitas, pois o blog foi aberto em março de 2005. Após essa navegação explorativa, desenvolvam as seguintes ações:

  • Selecionem um dos relatos de experiência e façam uma leitura analítica. Se há link para o blog/site da prática, explorem o que há lá;
  • Postem no seu blog, uma análise do relato e/ou prática.

Essa postagem deve atender aos seguintes aspectos:

  • Apresentar um link direto para a postagem que foi selecionada por vocês para ser analisada;
  • Identificar os indícios ou evidências de onde, como e quem participou da experiência;
  • Identificar os argumentos do relator acerca da relevância da experiência e dos resultados dela;
  • Analisar e comentar as evidências e argumentos que facilitam ou não a clareza da apresentação das intenções do professor e das ações dos alunos bem como a compreensão do processo relatado.
Essa é uma atividade muito prazerosa para mim, visto que uma das coisas que mais me encantam na internet é a rede que podemos estabelecer ao explorar diversos ambientes. Dei uma passadinha no blog "Relatos de Experiências" e já parti para outros blogs/sites superinteressantes.
Claro que já pesquei umas atividades para desenvolver com meus alunos e logo vou publicá-las com o devido registro, estou louca para testar a minha câmera novíssima e fazer uns filminhos com os meus alunos.

domingo, 28 de outubro de 2007

Realização do Planejamento II


No dia 23 de outubro entramos na sala de aula e os alunos já foram tirando as mesas do centro e organizando as cadeiras em circulo.
Pediram para ensaiar mais um pouquinho. Deixei que se organizassem e que ensaiassem.
Em seguida os grupos começaram a se apresentar, combinamos que deveriam se apresentar para a platéia, mas na maioria das vezes, as crianças me procuravam e apresentavam olhando para mim, como se quisessem ver a minha aprovação.
Após as apresentações, nos reunimos em circulo para fazer a avaliação da atividade, os alunos fizeram as suas colocações e no final fiz o fechamento.

O que mais me chamou a atenção é que durante o decorrer da atividade a maioria trabalhou muito concentrada, como nunca antes havia observado nessa turma, e todos tiveram interesse. Tenho certeza de que esse fato se deu devido às representações terem sido construídas por eles.


quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Realização do Planejamento:


Atuo na Escola Estadual de Ensino Médio Mario Quintana – CAIC com uma turma de 4ª série do Ensino Fundamental, composta de 10 meninas e 19 meninos, com idades entre 10 e 12 anos. No dia 22 de outubro, ao chegarmos à sala de aula, convidei os alunos a colocarem as mesas encostadas nas paredes de forma a deixar a sala vazia no centro e colocamos as cadeiras dispostas em círculo. Iniciei a conversa perguntando aos alunos que experiência eles tinham sobre teatro, cada um falou e eu anotei: · Seis alunos disseram que já tinham ido ao teatro com seus pais; · Quatro alunas disseram que fazem parte do grupo de teatro afro do bairro onde moram; · Todos os alunos disseram que já assistiram teatro na escola. Com base em suas respostas, perguntei se eles “topavam” fazer um jogo de representações: Fizemos a atividade das Estátuas: dividi a turma em cinco grupos de cinco alunos e um grupo de quatro alunos, solicitei que montassem uma cena e que permanecessem assim por alguns instantes em pose para fotografia. A atividade foi desenvolvida com muita tranqüilidade, alguns davam opinião na composição da cena dos outros grupos e esperavam para ver como ficaram as fotos. Dividi a turma em três grandes grupos através da distribuição das letras A – B ou C para cada um. Iniciamos o Jogo com todos andando, até que pedi para os alunos que tinham as letras B e C parassem e os que tinham a letra A continuassem caminhando e que prestassem atenção que a qualquer momento o jogo iria mudar. Foi muito engraçado, porque eles ficavam preocupados em cuidar da letra e eu pedia a eles que caminhassem na ponta do pé, ou batendo palmas, etc. e foi muito divertido todos demos muitas risadas. Combinei com eles que no dia seguinte faríamos uma representação de cenas do nosso quotidiano, dividi a turma em grupos e deixei que eles combinassem o que iriam representar, passei nos grupos tentando ajudá-los a se organizarem, um grupo resolveu escrever o que iriam fazer e os outros perceberam que estavam compondo as cenas e começaram a fazer o mesmo e perguntavam: eu posso anotar a minha parte para não esquecer? Antes de encerrar a aula as crianças me ajudaram a colocar as mesas e as cadeiras nos lugares.


sábado, 20 de outubro de 2007

Planejamento das Atividades Práticas de Teatro



Planejamento da aula de teatro: Na aula de teatro, pretendo desenvolver com os alunos alguns exercícios semelhantes aos que realizamos na aula presencial: 1) Estátuas, em grupos de cinco os alunos deverão compor uma cena e permanecerem parados como “estátuas”; 2) Dividir a turma em três grupos: (A – B – C). Inicia com o comando: andando primeiro o grupo A, ao parar, procurar se posicionar expressivamente a um colega que estava parado e continuar com o jogo sucessivamente, enquanto perceber que os alunos estão gostando da brincadeira. Atividade Prática:
Os alunos deverão encenar cenas do cotidiano deles em grupos de cinco. 1ºPasso: Dividir a turma em grupos de cinco. 2ºPasso: Deixar que os alunos combinem a cena que desejam representar. 3ºPasso: Estipular um tempo para que os alunos possam ensaiar a sua representação. 4º Passo: Organizar a apresentação, lembrando aos alunos que os que, ora estão se apresentando, ora serão a platéia. 5º Passo: Avaliação: estabelecer uma conversa com os alunos para que eles falem o que sentiram ao realizar essa atividade e o que eles aprenderam.Observação, as fotos das atividades serão postadas posteriormente.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Marcadores

Nas minhas andanças pela internet em busca de subsídios para fazer a atividade de Literatura Infanto-juvenil, que tratava sobre poesias, visitei vários sites do Poeta Mario Quintana e vejam a lindeza de site que encontrei: Eterno Espanto e o mais interessante nisso tudo, é que a blogueira que o criou, usou marcadores para juntar as poesias postadas de cada um dos livros do Poeta.
Achei sensacional, pois se não tivesse acessado ao tutorial da professora Iris, onde ela nos ensina a usá-los em nossas postagens e se eu não tivesse compreendido para que servem os "marcadores", talvez eu não me desse conta de que ao clicar ali, naquele marcador, teria reunidas em uma tela as poesias por livros.
Gostaria de convidar os colegas, professores e tutores a visitarem o blog Eterno Espanto para se deliciarem com os recortes da obra do nosso querido Mario Quintana e aproveitar para testar os marcadores que lá estão.

Abraços, Ivana.

Teatro na Sala de Aula



Ontem cheguei na sala de aula muito apreensiva, pois tinha planejado colocar em prática as teorias estudadas na Interdisciplina de Teatro. Começamos afastando as mesas para um canto da sala e colocando as cadeiras em círculo. Perguntei o que eles entendiam por teatro e fiquei muito surpresa, eles sabiam do que se tratava e sabiam o que era representar.


Fiz umas atividades semelhantes às que nós fizemos na aula presencial de teatro e adorei, eles também gostaram muito. Combinamos que nas quarta-feiras deixaríamos um período exclusivo para a aula de teatro. Agora vamos ver como será na próxima semana.


segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Feliz dia dos Professores

casal idosos


Ser professor é...


"Ser professor é professar a fé e a certeza de
que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
pelo que aprendeu...


Ser professor é consumir horas e horas pensando
em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
todos os dias, a cada dia é única e original...


Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e,
diante da reação da turma, transformar o cansaço
numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...


Ser professor é importar-se com o outro numa
dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que
necessita de atenção, amor e cuidado.


Ser professor é ter a capacidade de 'sair de cena,
sem sair do espetáculo'.
Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que
o aluno caminhe com seus próprios pés"...







Desejo a todos os professores e professoras do PEAD

Um
Feliz dia dos Professores!

Um forte abraço, Ivana.

sábado, 6 de outubro de 2007

Releitura da Obra de Diego Velázquez por Ivana





















Olá Pessoal, essa é a minha releitura:


Justificativa:

O pintor estaria retratando os reis Felipe IV e Mariana da Áustria na tela e a imagem dos dois aparece refletida no espelho, parte que recortei a cima para fazer essa releitura. Observei que o dito "espelho" reflete uma luminosidade muito intensa, diferente da observada nas outras telas que aparecem nas paredes da cena.

Postagem publicada no Blog Pead Artes Visuais - Alvorada em 05/10/07.

Curiosidades sobre a Obra:

Em 1649, viaja para a Itália a fim de adquirir quadros para a coleção real. Retorna para a Espanha em 1651, onde produz seus melhores trabalhos, entre os quais As Meninas (1656), ponto alto de seus quadros de corte. Morre em Madri.

La Familia de Felipe IV ou "Las Meninas"
Óleo sobre lienzo: 3,18 x 2,76 mts.
Pintura Espanhola (Século XVII)

Esta obra foi feita por Velásquez durante sua fase chamada "La Familia", onde o artista representava cenas do cotidiano, sendo quase um impressionista. Na cena, a jovem Margarita, da Áustria, encontra-se cercada por sua pequena corte de damas e empregados.

A cena transcorre dentro de uma estância do Alcázar de Madrid, decorada com uma série de quadros. Os personagens se agrupam em um primeiro plano juntamente com a figura principal, a infanta Margarita, que ocupa a parte central do grupo; a seus lados, Isabel Velasco e Agustina Sarmiento - las "meninas" -; junto a esta última os irmãos María Bárbola e Nicolás Pertusato em atitude de jogar com mastín que dormia a seus pés.

Atrás deles, na penumbra, aparecem Marcela de Ulloa e um cavaleiro que não se pode identificar. Na esquerda se encontra a figura de Velázquez com seus instrumentos de trabalho em frente de um grande lenço que ocupa todo o ângulo do quadro.

No fundo da habitação, junto a uma porta aberta, se encontra don José Nieto de Velázquez, aposentador da rainha, que é o centro perspectivo da obra. Preside o muro de fundo um espelho onde aparecem refletidas as figuras dos reis Felipe IV e Mariana da Áustria.

  • Velázquez realizou esta pintura em 1656.
  • Se manteve nas dependências do Alcázar de Madri até o incêndio de 1734.
  • Voltou ao Palácio Novo edificado sobre o solar incendiado.
  • Veio ao Real Museu de Pintura e Escultura (atual Museo do Prado) no começo do século XIX, com obras procedentes da coleção real.
  • Os inventários reais lhe haviam dado diferentes denominações: "La Señora Emperatriz con sus damas y una enana" (1666) e "La familia del Señor Rey Phelipe Quarto" (1734).
  • Já no Museo do Prado, no catálogo redigido por Pedro de Madrazo, em 1834, a obra foi chamada pela primeira vez "Las Meninas" - expressão de origem portuguesa com que se designava as acompanhantes de crianças reais no século XVII.
Recorte do site: VELÁZQUEZ (1599-1660)

Abraços, Ivana.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

As teorias sobre Teatro na Escola






Postagem no Blog iniciada no dia 04/10/2007, concluída em 20/10/2007 e refeita em 09/11/2007.

Neste semestre, iniciamos os estudos sobre como trabalhar teatro em sala de aula. Após fazer as leituras obrigatórias e dar umas garimpadas na web em busca de mais subsídios, inicio a sistematização dos meus estudos e passo a contextualização da teoria estudada para construir o meu inventário criativo sobre o Teatro na Escola.
Segundo Taís Ferreira as manifestações de caráter teatral e dramáticas, acompanham a humanidade e sua evolução. “Mesmo os homens pré-históricos já usavam máscaras e fantasias de animais, imitando-os, para atrair uma caça farta. O teatro surge a partir dos rituais sagrados, nos quais os homens tentavam, através de canto, dança e representações, dominar e entender a natureza, além de agradar e homenagear os deuses sagrados”. Com este texto pude conhecer a evolução do teatro através dos tempos.
No texto A Experiência Criativa, pude conhecer as atividades que podemos estabelecer em sala de aula para desenvolver experiências criativas e inspiradoras.
Ao ler o texto Improvisação: da espontaneidade romântica ao momento presente de Gilberto Icle, percebi que: “Existem muitas modalidades de improvisação e que dos procedimentos e modalidades de improvisação teatral mais comum entre nós podemos destacar dois: o jogo dramático e o jogo teatral. [...] O jogo teatral – theater game - foi sistematizado por Viola Spolin, nos Estados Unidos, e se diferencia do jogo dramático, principalmente, porque no primeiro há a necessidade de se estabelecer regras precisas que envolvam os princípios teatrais, dentre as quais o estabelecimento da relação palco/platéia, ou seja, jogadores que atuam e jogadores que assistem. Além disso, Spolin (1987) propõe um Ponto de Concentração para cada jogo, pautando a atuação dos jogadores em regras pontuais a serem observadas durante a atuação e a serem discutidas na avaliação. A idéia de Instrução, também é uma característica diferenciadora do Jogo Teatral, pois o orientador do jogo pode instruir os participantes durante o próprio jogo a fim de garantir o andamento do mesmo e o melhor cumprimento das regras”.
Já no texto Aula de Teatro é teatro de Cleusa Joceleia Machado, a autora traz que “... não basta a intencionalidade. O evento teatral é o encontro de alguém que assume um papel e comunica algo e outro que aceita e assiste. Guinsburg (op.cit.) aponta a existência do texto, do ator e do público como os elementos fundamentais para constituir o ato teatral. Para o autor, estes elementos constituem um sistema aberto, sujeito aos diversos enfoques e combinações...”
O texto Formas de abordagem dramática na educação de Ana Carolina Müller Fuchs, revisado por Antônio Falcetta, apresenta algumas formas de abordagem dramática na educação, que são:
1. O Play Way ou Método Dramático é a utilização do teatro como recurso para outras aprendizagens.
2. O Teatro Criativo tem como base o jogo dramático e introduz a idéia de que a atividade teatral deve ser considerada uma disciplina e ter seu lugar no currículo escolar.
3. O Movimento Criativo se apóia na experiência do movimento expressivo, principalmente no que se refere à dança e ao teatro. O precursor desse movimento foi Rudolf Laban, que pesquisou as características do movimento como base para a expressividade. Segundo ele, a compreensão do movimento pode possibilitar uma visão mais ampla da atividade humana.
4. O Teatro Escolar consiste na apresentação de espetáculos por alunos em suas escolas. No começo do século, essa era a única atividade dramática na escola. Atualmente a representação de peças é vista como uma das possibilidades de sala de aula, e as apresentações se desenvolvem a partir dos jogos criativos e de trabalhos de improvisação.
5. O jogo dramático já descrito anteriormente se mantém como uma abordagem contemporânea do teatro na escola. Mais voltado para a subjetividade pressupõe as relações de cada indivíduo com seu imaginário e com sua expressividade. Está ligado ao faz-de-conta infantil. É uma prática lúdica individual ou em grupo que propõe a improvisação de um tema ou situação previamente escolhida. Não implica a participação de uma platéia. Não tem como objetivo a apresentação ou a representação de algo, mas sim a apropriação dos mecanismos fundamentais do teatro.

6. Os jogos teatrais são uma abordagem contemporânea do teatro na educação. É um sistema de aprendizado da linguagem teatral desenvolvido pela pesquisadora norte-americana Viola Spolin e baseado na improvisação. Spolin compreende o fazer teatral como uma construção individual que ocorre na interação entre os indivíduos e destes com os problemas de atuação. A proposta dos jogos teatrais está relacionada à “fisicalização”, que é tornar físico, expressar e trazer para o plano material o que há no plano das intenções, das imagens, das sensações e dos pensamentos. Seu método inclui jogos que propõem um desafio a ser resolvido e que inclui a relação entre quem improvisa e quem assiste, entre alunos-atores e platéia. A platéia é entendida como um grupo ativo que observa, analisa e retorna ao grupo que está jogando suas percepções e compreensões sobre o acontecido como recurso para a reelaboração do trabalho. Dessa forma, o aluno constrói o seu próprio fazer e o do grupo num trabalho dinâmico. Importante: a utilização de determinada abordagem teatral no contexto escolar não exclui as outras. É preciso saber de forma clara e coerente os objetivos que se pretende alcançar e buscar os melhores caminhos para atingi-los, tendo como princípio que o fazer teatral deve ser construído a partir das necessidades e desejos de todos os sujeitos envolvidos no processo. Assim, pode-se fazer do teatro um recurso riquíssimo para aprendizagem de outras disciplinas, assim como transformar jogos e brincadeiras em verdadeiros espetáculos. É possível ainda fazer de uma representação um momento ímpar de descobertas e aprendizagem para todos.

Concluo que o teatro na escola é mais um recurso que podemos usar para que o aluno se reconheça como sujeito da sua aprendizagem, pois através da prática cênica ele terá um campo aberto para exercitar a sua criatividade ao explorar a sua intuição e as suas emoções de forma mais concreta que, certamente o levará a ter mais consciência de si mesmo e do mundo que o cerca.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Teatro e Educação

Hoje tivemos o nosso primeiro encontro presencial com a Professora Rossana Perdomini Della Costa de Teatro e Educação, fizemos uma porção de exercícios práticos e agora devemos partir para a teoria. Um dos autores sugeridos é a pesquisadora norte-americana Viola Spolin.

..."Viola Spolin desenvolveu sua pesquisa junto a grupos de teatro improvisacional, na década de sessenta. Buscavam uma renovação na linguagem teatral através da reflexão acerca do processo de criação. A técnica era aprendida durante workshops que exploravam novas formas de comunicação, jogos teatrais em que todos, não apenas os 'talentos natos' (noção questionada por Spolin), eram levados a improvisar. Spolin defendia que a potencialidade de qualquer indivíduo podia ser evocada pelo aprimoramento de sua capacidade de 'experienciar' – termo que designa a vivência de uma experimentação, sua apreensão em todos os níveis, intelectual, físico e intuitivo.
Assim como Spolin, o compositor Murray Schafer sustenta hoje a idéia de que qualquer aluno pode experimentar a arte, de forma consciente, espontânea e inventiva"...
..."O professor deve compreender o seu papel como mediador – e não como instrutor. Ele deve garantir a organicidade do trabalho como crescente apropriação criativa dos alunos e participar da criação coletiva do grupo, reinventando suas proposições. Sua função é zelar para que o ato de ensinar se torne experimentação"...

Trechos retirados do artigo:Didática da invenção por Ana Tereza Melo Brandão.

sábado, 22 de setembro de 2007

Artes Visuais e seu Ensino

Imagens retiradas do site: http://www.cursoarte.hpg.ig.com.br/


O QUE É A ARTE?
Criação humana com valores estéticos (beleza, Equilíbrio, harmonia, revolta)
que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura.
É um conjunto de procedimentos que utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos. Se apresenta sob variadas formas como: a plástica, a música, a escultura, o cinema, o teatro, a dança, a arquitetura etc. Pode ser vista ou percebida pelo homem de três maneiras: visualizadas, ouvidas ou mistas (audiovisuais), hoje alguns tipos de arte permitem que o apreciador participe da obra. O artista precisa da arte e da técnica para comunicar-se.

Quem faz arte?
O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de cozinha. Outros objetos são criados por serem interessantes ou possuírem um caráter instrutivo. O homem cria a arte como meio de vida, para que o mundo saiba o que pensa, para divulgar as suas crenças (ou as de outros), para estimular e distrair a si mesmo e aos outros, para explorar novas formas de olhar e interpretar objetos e cenas.

Por que o mundo necessita de arte?
Porque fazemos arte e para que a usamos é aquilo que chamamos de função da arte que pode ser ...feita para decorar o mundo... para espelhar o nosso mundo (naturalista)... para ajudar no dia-a-dia (utilitária)...para explicar e descrever a história...para ser usada na cura doenças... para ajuda a explorar o mundo.

Como entendemos a arte?
O que vemos quando admiramos uma arte depende da nossa experiência e conhecimentos, da nossa disposição no momento, imaginação e daquilo que o artista pretendeu mostrar.

O que é estilo? Por que rotulamos os estilos de arte?
Estilo é como o trabalho se mostra, depois de o artista ter tomado suas decisões. Cada artista possui um estilo único.
Imagine se todas as peças de arte feitas até hoje fossem expostas numa sala gigantesca. Nunca conseguiríamos ver quem fez o que, quando e como. Os artistas e as pessoas que registram as mudanças na forma de se fazer arte, no caso os críticos e historiadores, costumam classificá-las por categorias e rotulá-las. É um procedimento comum na arte ocidental.
Ex.: Renascimento, Impressionismo, Cubismo, Surrealismo, etc.

Como conseguimos ver as transformações do mundo através da arte?
Podemos verificar que tipo de arte foi feita, quando, onde o como, desta maneira estaremos dialogando com a obra de arte, e assim podemos entender as mudanças que o mundo tiveram.

Como as idéias se espalham pelo mundo?
Exploradores, comerciantes, vendedores e artistas costumam apresentar às pessoas idéias de outras culturas. Os progressos na tecnologia também difundiram técnicas e teorias. Elas se espalham através da arqueologia , quando se descobrem objetos de outras civilizações; pela fotografia, a arte passou a ser reproduzida e, nos anos 1890, muitas das revistas internacionais de arte já tinham fotos; pelo rádio e televisão, o rádio foi inventado em 1895 e a televisão em 1926, permitindo que as idéias fossem transmitidas por todo o mundo rapidamente, os estilos de arte podem ser observados, as teorias debatidas e as técnicas compartilhadas; pela imprensa, que foi inventada por Johann Guttenberg por volta de 1450, assim os livros e e arte podiam ser impressos e distribuídos em grande quantidade; pela internet, alguns artistas colocam suas obras em exposição e podemos pesquisá-las, bem como saber sobre outros estilos.

Pesquisa no site: http://www.artesbr.hpg.ig.com.br/Educacao/11/index_hpg.html


sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Literatura Infanto-juvenil e Aprendizagem - A




Bloco I - Contação de Histórias

Referencial Teórico:
"Literatura Infantil: gostosuras
e bobices"
de Fanny Abramovich



"Textos e pretextos sobre a arte de contar histórias"

de Celso Sisto.













Sou totalmente contra a pirataria e a falta de respeito com os direitos autorais, porém como os meus salários são muito baixos não tenho condições de adquirir essas obras e recorro às cópias.
Fica aqui o meu protesto, queria poder comprar todos os livros.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Conceitos

As notas do semestre já estão disponíveis no portal do aluno no site da UFRGS, nas disciplinas que eu tinha certeza de que tinha ido bem eu tirei B e na que eu esperava um C, tirei A! Pode????

Desenvolvimento e Aprendizagem sob o Enfoque da Psicologia I - B
Escolarização, Espaço e Tempo na Perpectiva Histórica - A
Fundamentos da Alfabetização - A
Infâncias de 0 a 10 anos - B
Seminário Integrador II - A

domingo, 2 de setembro de 2007

Festa dos Calouros 2007/1

Olhem a felicidade do Calouro Artur após o batizado!!!
É só sorrisos!!!
Hospede inúmeras fotos no slide.com GRÁTIS!
Solange, Bea, Artur, Ivana, Simone, Marili e Maura.

sábado, 1 de setembro de 2007

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Oba! Tem Festa no PEAD!!!


Amanhã teremos mais uma festa na Reitoria da UFRGS para os bixos do PEAD 2007!
Estou muito feliz em saber que mais uma vez estaremos juntos festejando na nossa maravilhosa Universidade!
Pena que tem uma porção de colegas que não poderão participar, pena mesmo!
Abraços a todos!

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Reta Final


Gostaria de estar de férias também na escola para depois de todas estas etapas vencidas poder ir para a praia e caminhar na areia dourada pelo por do sol e descansar...
Agora tenho que fazer o meu inventário e concluir este semestre com tranqüilidade.
Queria estar mais segura como no semestre passado...
Força! Eu vou conseguir, eu sei!
Desejo sucesso para todos nós!
Abraços, Ivana




Imagem: Foto search Banco de Imagens

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Sentimento pós "Prova"

Sinto como se ainda estivesse anestesiada, nunca em toda minha vida escolar ou acadêmica, tinha me sentido assim! Disse que não iria chegar perto do computador por muitos dias, que só iria refazer a atividade do Seminário Integrador II e que não iria nem ler os mails, mas não consegui...

E cá estou, fazendo mais uma postagem, colocando as minhas angústias, as minhas frustrações...

Estou muito triste...

Queria poder compreender o real motivo que me deixou tão impotente ontem na "prova", nem Deus sabe...

Li, estudei, fiz minhas anotações, e vale lembrar que esta é a quarta faculdade que faço!

Por quê?

Por quê?

Por quê?

Tenho vontade de chorar, não consegui descrever sobre os temas solicitados, parecia que as palavras fugiram, partiram para bem longe ou todas estavam em férias!

Eu, que sou tão "boa" com as palavras, eu que sempre gostei tanto de escrever, de explicar o que havia compreendido...

Não consigo compreender...

Não vou nem tentar compreender, ainda bem que terminou, será????

Talvez seja por não ter certeza de que realmente tenha terminado que estou assim tão impotente!

Será que algum dia, alguém saiu da minha aula assim?

Não acredito!


“A maior parte do que eu preciso saber, como ser e como viver, eu aprendi no Jardim de infância. Na verdade, a sabedoria não está no morro da faculdade, e sim bem ali, na caixa de areia da escolinha. (...) E sempre será verdade, não importa quantos anos você tenha. Se você sair por ai, pelo mundo afora, bom mesmo é poder dar as mãos aos outros e caminhar sempre juntos.”

Robert Fulghun

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Aula Presencial - 25/07

Após chegar da aula presencial, fiquei pensando e lembrei da minha primeira postagem nesse blog, fiz o caminho inverso, passeei por todas pastagens, sei que essa página tem o intuito de ser nosso diário de bordo, onde possamos postar nossas angústias, dificuldades e avanços, foi gostoso ver que ao longo dessa trajetória postei mais alegrias que angústias ou dificuldades, gosto tanto de aprender, estou tão aberta a isso, que o caminho se faz prazeroso, alegre e cheio de boniteza.

"Ninguém começa a ser educador numa certa terça-feira às quatro horas da tarde.
Ninguém nasce educador ou marcado para ser educador.
Agente se forma como educador, permanentemente, na prática e na reflexão sobre a prática". Paulo Freire


Para concluir essa postagem cheia de alegria, quero compartilhar com vocês uma foto com grandes amigos:

Solange, Artur, Euzinha e Inês Dalpiaz.

No Big Alvorada, antes da aula.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Dia do amigo

O dia do amigo foi adotado em Buenos Aires, Argentina, com o Decreto nº 235/79, sendo que foi gradualmente adotado em outras partes do mundo. Foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Ele se inspirou na chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, considerando a conquista não somente uma vitória científica, como também uma oportunidade de se fazer amigos em outras partes do universo. Assim, durante um ano, o argentino divulgou o lema "meu amigo é meu mestre, meu discípulo e meu companheiro".
No Brasil, o dia 20 de Julho também é adotado como dia do Amigo.
Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo.

Fonte: Wikipédia.
Desejo ao pessoal do Pead um Dia do Amigo muito feliz!
Beijos, Ivana