terça-feira, 26 de dezembro de 2006

ECS 10 - Ser Professor / Professora





"... é fundamental que, na prática da formação docente, o aprendiz de educador assuma que o indispensável pensar certo não é presente dos deuses nem se acha nos guias de professores que iluminados intelectuais escreveram desde o centro do poder, mas, pelo contrário, o pensar certo que supera o ingênuo tem que ser produzido pelo próprio aprendiz em comunhão com o professor formador. É preciso, por outro lado, reinsistir em que a matriz do pensar ingênuo como a do crítico é a curiosidade mesma, característica do fenômeno vital. Neste sentido, indubitavelmente, é tão curioso o professor chamado leigo no interior de Pernambuco quanto o professor de Filosofia da Educação na Universidade A ou B. O de que se precisa é possibilitar, que, voltando-se sobre si mesma, através da reflexão sobre a prática, a curiosidade ingênua, percebendo-se como tal, se vá tornando crítica..."
- FREIRE, Paulo. p 43, 1996 -

domingo, 24 de dezembro de 2006

Feliz Natal



Desejo aos colegas, professores e tutores um



Feliz Natal!!!



sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

domingo, 17 de dezembro de 2006

ECS - 11 Educação Escolar e Políticas Públicas no Brasil

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Escola, Cultura e Sociedade – A
Nome do aluno: Ivana Molina
Número da atividade: Semana 12 – ECS 11
Pólo: Alvorada
Prof.ª Vera Corazza
Tutoras: Simone Ramminger
e Fernanda Silva Hoffmann

Educação escolar e políticas públicas no Brasil.

Nos últimos anos a criação do FUNDEF, fez com que a educação pudesse ter um pequeno avanço, não precisamos mais lutar para ter os nossos salários em dia, as escolas receberam reformas sem que precisemos fazer "festinhas" para angariar fundos, como fazíamos antes, as escolas estão mais equipadas e podem gerir suas necessidades, pois tem o plano de aplicação financeira, isso em se tratando da rede pública municipal.
Na rede pública estadual temos a gestão dos recursos, as escolas podem investir em equipamentos e reformas do prédio, porém as verbas estão sempre atrasadas e na maioria das vezes só recebemos 50% do que é devido e no que se refere aos salários, os professores não são valorizados.

domingo, 3 de dezembro de 2006

Fotos - Festa dos Calouros [clique aqui]


A Festa dos Calouros em Porto Alegre no Campus Central no dia 02 de dezembro de 2006, foi maravilhosa!!!
Participamos de várias atividades, dentre elas:
* O batizado pelo nosso Magnífico Reitor Carlos Hennemann;
*os alunos do Pólo Alvorada cantaram a Música "É Preciso Saber Viver";
* almoço delicioso no famoso bar do Antônio.
Houve muita integração!!!

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Educação, Trabalho Infantil e Feminino.






Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental - A
Escola, Cultura e Sociedade.
ECS 9 - Versão Final.
Componentes do Grupo G: Ilsa Berenice dos Santos Machado,
Inês Cristina Tyska Nunes, Ivana Molina,
Izolete Lazaroto da Silva, Neusa Teresinha Dias Teixeira,
Rejane Petro de Oliveira, Rosana Gomes da Costa Porto,
Rosane Rodrigues Beltrão.

sábado, 25 de novembro de 2006

Festa dos Calouros





UFRGS

No dia 02 de dezembro de 2006, teremos mais uma atividade presencial, nos encontraremos na FACED para a Grande Festa dos Calouros da PEAD/UFRGS de todos os Pólos.
Nunca esperei tanto por uma aula num sábado.
As coisas estão mudando!!!!!
Abraços, Ivana.

ECS - 9 - Educação, trabalho infantil e feminino

Universidade Federal do Rio grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental - A
Pólo Alvorada
Escola, Cultura e Sociedade
Professora Vera Corazza
Grupo G: Ilsa Berenice, Inês Cristina, Ivana Molina, Izolete Lazaroto, Neusa Teresinha, Rejane Petro, Rosana Porto e Rosane Beltrão.

Educação, trabalho infantil e feminino

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Inauguração da Nova Sede do Pólo Alvorada

Tenho Certeza que todos irão gostar da Nova Sede do Pólo Alvorada, a escola é aconchegante, fazíamos as reuniões do SEJA lá e era muito bom...
Fica um pouquinho longe, pois eu só andava duas quadras para estar no Pólo, mas como teremos mais horários, será muuuuuiiiiiiittto bom termos a nova sede!!!!
Até sábado na nova sede.
Abraços a todos!

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Representante da Turma

Na aula presencial, uma das atividades era eleger um representante para a nossa turma.
Fui eleita e espero estar a altura para representar a nossa turma junto à FACED.
Obrigada pela confiança!
Um abraço a todos.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Aula Presencial III




Amanhã teremos aula presencial no Pólo...
Eu fico como uma criança esperando essas aulas. Estaremos todos juntos novamente, vamos matar as saudades, rever os amigos que aos poucos fomos conquistando...Puxa vida, já faz quatro meses que estamos juntos, e como é maravilhoso estar nessa caminhada, podermos desfrutar das conquistas e das novas descobertas com todos é uma oportunidade ímpar!
Um grande abraço a todos!
P.S. Estou amando colocar imagens outros acessórios no meu blog.

Blog - Novo Modelo

Pessoal, eu futriquei tanto no meu blog e não sei como, mas travou e não ia até o final.
Para solucionar o problema, resolvi trocar de modelo.
Havia personalizado, ele estava com a minha cara, quer dizer eu acho que estava...
Deu um trabalhão, mas fazer o que...
vamos lá, mãos a obra!!!
Bem, este também ficará, espero!!!
Abraços, Ivana

domingo, 5 de novembro de 2006

Formação do Grupo G - 3

Componentes do Grupo para a Gincana:
M. Cristina G. de souza Bauer - Pólo Três Cachoeiras
Ivanize Honorato - Pólo São Leopoldo
Luciana Peres - Pólo Gravataí
Tania M. Bernardon -
Pólo São Leopoldo
Ivana Molina - Pólo Alvorada
Rosana Gomes da Costa - Pólo Alvorada
Ainda faltam muitos integrantes! (2?)

sábado, 4 de novembro de 2006

Visita aos Blogs dos Colegas


Hoje visitei os blogs dos colegas em todos os pólos para encontrar os que têm a mesma imagem que eu. Só encontei duas, acho que os outros ainda não postaram a sua imagem, mas nem tudo foi perdido. Encontrei blogs lindíssimos e resolvi dar uma arrumadinha no meu!
Acho que ficou bem legal!
Um abraço a todos!

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

Semana 5 / ECS 7 - MARX & ENGELS I


Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental

Escola, Cultura e Sociedade – A
Nome do aluno: Ivana Molina
Número da atividade: Semana 5 / ECS 7 - MARX & ENGELS I
Pólo: Alvorada
Prof.ª Vera Corazza
Tutoras: Simone Ramminger
Fernanda Silva Hoffmann

Enfoque temático:
Construção de concepções de humano mundo - educação: A perspectiva marxista.

Tema: concepções de humano, mundo e educação na perspectiva marxista.

Marx & Engels

Karl Marx nasceu em 1818 na Alemanha, foi filósofo, economista, estudou direito em Berlim, dedicando-se especialmente a história e a filosofia. Fazia parte do grupo hegeliano de esquerda, que interpretava as idéias de Hegen do ponto de vista revolucionário e foi organizador do movimento proletário internacional.
Em Paris conheceu Friedrich Engels, filósofo alemão que nasceu em 1820, que junto com Karl Marx, fundou o chamado Socialismo Científico ou Comunismo. Engels, foi seu companheiro e colaborador em idéias e publicações tais como a obra "O Manifesto do Partido Comunista", considerada a obra fundadora do "marxismo".
Para Marx, a sociedade se constituía a partir das relações de trabalho e que as classes sociais são determinadas pelo acesso maior ou menor ao capital – O sistema capitalista é o responsável pelas relações de opressão entre burguesia e proletariado.
As consciências são formadas de acordo com a forma em que as pessoas conseguem suprir suas necessidades básicas: primeiro matar a fome, depois refletir sobre o mundo.
A sociedade não é estática, pode ser modificada a partir da tomada de consciência das classes oprimidas.
A sociedade capitalista é estruturada em duas bases: a estrutura – meio de produção, divisão de capital e classes sociais que origina a superestrutura: ideologias, leis, regras e sistemas políticos.
O Método de Pesquisa de Karl Marx era o Materialismo Histórico-Dialético – os fenômenos materiais que determinam à vida humana são processos que não agem passivamente sobre o espírito humano, podendo o mesmo, reagir contra essas determinações.
Marx analisa a sociedade buscando alternativas para modificá-la, através da ação, reflexão e tomada de consciência, observando os meios e relações de trabalho como principal fonte de análise.
Foram feitas muitas críticas a Karl Marx por Karl Popper, onde discorda deste e diz que a história obedece às leis e se compreendidas podem antecipar o futuro, pois segundo Popper, a história não pode obedecer às leis e o considera como "não-ciêntifico". Éric Voegelim, diz que Marx levanta questões que são impossíveis de serem resolvidas pelo "homem-socialista" e, que Marx conduz a uma realidade alternativa.
Ainda hoje, Marx exerce influência. É uma referência para discutir os aspectos políticos, econômicos e sociais das sociedades contemporâneas.
As críticas começaram desde a publicação de suas obras onde muitas vezes, foi ignorado e outras vezes, mal compreendido até mesmo por seus seguidores.

domingo, 29 de outubro de 2006

ECS - 8


imollina@yahoo.com.br


Essa é a minha imagem, quem tem igual?





Arividade 5 - ECS -Veber I

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Disciplinas: Escola, Cultura e Sociedade – Abordagem
Sociocultural e Antropológica - A
Nome do Aluno: Ivana Molina
Número da atividade: ECS 5
Pólo: Alvorada



Os Três Tipos Puros de Dominação Legítima - Weber

São elas: a legal, a tradicional e a carismática.
A Dominação Legal:

A dominação legal tem como idéia base a existência de um estatuto que pode criar e modificar normas, desde que seu processo (forma) esteja previamente estabelecido. Portanto, constitui uma relação desprovida de sentimentos ou seja, baseia-se unicamente no profissionalismo e na hierarquia.
Como exemplos de dominação legal se pode citar o Estado, o município, uma empresa capitalista privada.
A base do funcionamento técnico é a disciplina do serviço.


A Dominação Tradicional:

A dominação tradicional, por sua vez, é aquela que se dá em virtude da crença na “santidade” das ordenações e dos poderes senhoriais, possuindo como tipo mais puro a dominação patriarcal, na qual o “senhor” ordena e os súditos obedecem. Seu quadro administrativo é formado por “servidores”. A dominação é exercida em virtude da dignidade do senhor e reiterada pela tradição: por fidelidade.

A Dominação Carismática:
A dominação carismática é aquela que se caracteriza pela submissão de uma comunidade a uma pessoa em razão de seus elementos sobrenaturais. Podemos estabelecer três espécies do gênero dominação carismática: o grande demagogo, o profeta e o herói guerreiro.
Imbuído de enorme poder intelectual somado ao dom da oratória, o demagogo é um produto da cidade-estado ocidental. O profeta, possuidor de dotes sobrenaturais e faculdades mágicas cria um imaginário divino constituindo assim, a principal fonte da devoção pessoal, da mesma forma que o herói.
Embora extremamente poderosa (“sua forma totalmente pura possui caráter autoritário e dominador”), a dominação carismática é frágil. A devoção à pessoa do líder só é mantida enquanto o carisma subsistir.
O quadro administrativo é escolhido segundo carisma e vocação pessoais, e não devido à sua qualificação pessoal.

sábado, 28 de outubro de 2006

Semana 2 - Blogs



Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Disciplina: Educação e Tecnologias da Comunicação e Informação - A
Nome do Aluno: Ivana Molina
Número da atividade: Semana 2
Pólo: Alvorada

Informações sobre os blogs pesquisados:

Endereço:
Acelera 2005


Objetivo:
Trabalhar a auto-estima dos alunos das tumas de Aceleração, porque muitos deles demonstram agressividade e desinteresse por conta das muitas repetições.
Endereço:
Oficinas de Blogs

Ojetivo:
Apresentar aos participantes da oficina a aplicabilidade pedagógica dos blogs no ambiente educacional;

Refletir sobre a utilização pedagógica dos blogs;
Promover a construção de blogs para a aplicação em sala de aula;
Criar uma rede de blogs para troca de idéias entre os participantes.
Estou fazendo referência a estes blogs porque o primeiro trata das questões de reprovação e na minha escola esta ainda é uma das realidades que não conseguimos minimizar, o segundo trata de uma oficina, onde há aulas presenciais e à distância.
O Blog é uma das tecnologias de comunicação e informação disponibilizadas na Web. A aplicabilidade da ferramenta no meio educacional, onde o aluno possa ser co-autor de seu processo de aprendizagem e o professor um problematizador dos conhecimentos construídos pelos alunos.

sexta-feira, 27 de outubro de 2006

Semana 4 / ESC 6 - Weber II

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Escola, Cultura e Sociedade – A
Nome do aluno: Ivana Molina
Número da atividade: Semana 4 / ESC 6 - Weber II

Pólo: Alvorada
Prof.ª Vera Corazza

Tutoras: Simone Ramminger
Fernanda Silva Hoffmann


Enfoque Temático:
Construção de concepções de humano mundo – educação: a perspectiva historicista.


ser/estar x papéis:

Entendo por ser/estar a posição que ocupo atualmente na escola estadual a qual faço parte da equipe diretiva, onde sou professora nomeada para tal atuando com uma turma de Segundo Ano do Ensino Fundamental pela manhã e a tarde estou atuando na supervisão escolar. Saber separar os papéis e ter uma postura ética, exige um certo ponto de profissionalismo, que só adquiri no decorrer de tantos anos no magistério.

Poder/hierarquia:

Com a adoção da gestão democrática nas escolas, o poder deixa de ser centralizado e passa a ser comum a toda comunidade escolar. Quanto a hierarquia, nesse caso, vejo como o respeito que se deve aqueles que ocupam os cargos a que foram eleitos, e que estes devem trabalhar também respeitando as diferenças para que haja uma harmonia.
Na escola, a diretora reeleita para mais três anos é a minha irmã mais velha, trabalhamos juntas há muitos anos, algumas vezes eu estive na chefia imediata e agora ela está na chefia, acho interessante que as pessoas não saibam do nosso parentesco, pois sempre atuamos com respeito e profissionalismo.

sábado, 7 de outubro de 2006

Semana 2 - ECS 3

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Escola, Cultura e Sociedade – A
Nome do aluno: Ivana Molina
Número da atividade: ECS 3
Pólo: Alvorada
Prof.ª Vera Corazza
Tutora: Denise Severo


1.Qual a posição de Durkheim frente ao fato que diz Stuart Mill?

Durkheim diz que a influência das coisas sobre os homens é diversa, já pelos processos, já pelos resultados daquela que provém dos próprios homens; e a ação dos membros de uma mesma geração, uns sobre outros, difere da que os adultos exercem sobre as crianças e adolescentes.
Stuart Mill diz que as relações das pessoas exercem os mesmos efeitos indiretos exercidos por coisas e por instituições.

2.Quais as duas definições ressaltadas por Durkheim? Explique o ponto fraco em que incorrem:

A primeira seria a de desenvolver em cada indivíduo toda perfeição de que ele seja capaz. Levar ao mais alto grau possível todos os poderes que estão em nós.
A segunda seria a definição utilitária, segundo a qual a educação teria por objeto fazer do indivíduo um instrumento de felicidade, para si mesmo e para os seus semelhantes.
Estas definições têm como ponto fraco o fato de partirem do postulado de que há uma educação ideal, perfeita, apropriada a todos os homens, indistintamente; é essa educação universal a única que o teorista se esforça por definir. Mas, se antes de o fazer, ele considerasse a história, não encontraria nada em que apoiasse tal hipótese. A educação tem variado infinitamente, com o tempo e o meio.

3.O que é preciso, de acordo com Durkheim, para definir educação?
Considerar os parâmetros da sociedade, seus valores e sistemas educacionais existentes,
Para Durkheim o conhecimento é transmitido de geração para geração, de forma orgânica na qual os mais velhos repassam os ensinamentos para os mais novos, inserindo-os, assim no contexto social.
A educação não é para sociedade, senão o, meio pelo qual ela prepara no íntimo das crianças, as condições essenciais da própria existência.

4.De acordo com Durkheim, que fatos levam cada sociedade a fazer do homem certo ideal, tanto do ponto de vista intelectual quanto físico e moral?

Os fatos são: o direito, o dever, o progresso, a ciência, a arte e o espírito nacionalista.
A perpetuação desses fatos garante uma sociedade imutável, estagnada nos seus estamentos, na qual cada classe social desempenha seu papel de forma orgânica, ou seja, para manter o corpo social, cada indivíduo deve desempenhar o seu papel da forma que lhe foi ensinado por seu antecessor, sendo assim, um cidadão ideal.

5.Segundo o autor, que função o “ideal” a ser realizado tem que suscitar na criança?

A função ideal é tornar a criança, um membro da sociedade a que ela se destine.

6.A partir da definição: “A educação e a ação exercida pelas gerações adultas sobre as gerações que não se encontram ainda preparadas para a vida social, tem por objetivo suscitar e desenvolver, na criança certo número de estados físicos, intelectuais e morais, reclamados pela sociedade política no seu conjunto e pelo meio especial a que a criança particularmente, se destine”. O que conclui Durkheim? Explique:

Durkheim conclui que a educação consiste numa socialização metódica das novas gerações. Onde em cada um de nós, existem dois seres. Um constituído de todos os estados membros que não se relacionam senão conosco mesmo e com os acontecimentos de nossa vida pessoal; é o que se poderia chamar ser individual. O outro é um sistema de idéias, sentimentos e hábitos, que exprimem em nós, não a nossa personalidade, mas o grupo ou grupos diferentes de que fazemos parte; tais são as crenças religiosas, as crenças e práticas morais, as tradições nacionais ou profissionais, as opiniões coletivas de toda a espécie. Seu conjunto forma o ser social. Constituir esse ser social em cada um de nós tal é o fim da educação.

7.Como o autor explica que a sociedade e o indivíduo são idéias dependentes?

Para Durkheim a sociedade e indivíduo são idéias dependentes, pois a sociedade é a entidade moral, dura, que permitirá que o legado de cada geração possa ser conservado e acrescido, passando de geração para geração e que desejando melhorar a sociedade, o indivíduo, melhora a si mesmo, em contra partida, a sociedade através da educação, tem por objeto engrandecê-lo e torná-lo criatura verdadeiramente humana.

sábado, 30 de setembro de 2006

Atividade I

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Pedagogia Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Escola, Projeto Político Pedagógico e Currículo – A
Escola, Cultura e Sociedade – A
Nome do aluno: Ivana Molina
Número da atividade: ECS 1
Pólo: Alvorada
Prof.ª Maria Martha Dalpiaz
Prof.ª Vera Corazza
Tutora: Denise Severo


Quem sou... Eu sou Ivana Molina, uma mulher de meia idade que foi criada por várias professoras: minha mãe, sua irmã (a dinda), minhas tias (duas irmãs do meu pai) e várias primas uma delas, hoje é doutora na UniRitter. Tinha professoras por todos os lados. Eram várias gerações.
Desde sempre gostei de brincar de "escolinha". Tenho duas irmãs e cinco amigas de infância. Crescemos juntas e iniciamos no magistério, cada uma a seu tempo, pois nossas idades variam em três anos. Sempre disse que quando fosse grande, seria professora: "... também é desse modo que o destino costuma comportar-se conosco, já está mesmo atrás de nós, já estendeu a mão para tocar-nos o ombro"... E assim, me fiz professora no final da década de 70, contratada pela Prefeitura Municipal de Alvorada. Naquela época quem estivesse terminando o curso do Magistério, era considerado o máximo. As professoras tinham o ginásio e muitas somente o 5º ano Primário.
Fiz um teste na Secretaria de Educação, onde tinha que falar da LDB, a 5692/71, que noções eu tinha de planejamento, como agiria frente à determinadas situações em sala de aula e tinha que assinar um termo de que era ciente de que o pagamento atrasava quase seis meses.
Após quase três décadas, me vejo como aquela adolescente curiosa dos tempos do curso do Magistério no Dom Diogo de Souza. Sempre indagando e questionando os reais "motivos" que regem as rotinas escolares. "... no princípio era uma professora, depois passei por arranjos e adaptações que me modificaram um bocado"... E ainda estou buscando melhorar.
Sempre tive medo de marcar negativamente uma criança. Houve uma época que preferi me afastar da sala de aula, pois achava que se errasse com os papéis da secretaria da escola, era só amassá-los e jogar no lixo, (não tínhamos muitas noções de reciclagem). E foi muito bom, tive uma visão geral da escola, observava as mais variadas práticas e percebi qual professora eu não queria ser. Tinha mais duas professoras, éramos muito unidas, havíamos lido "Escola para o Povo" de Maria Teresa Nidelcoff e nas reuniões, éramos muito incisivas, às vezes as discussões varriam a madrugada, nos reuníamos na casa de uma delas em meio a churrasco e cerveja, questionávamos a tudo e a todos. Saudades...
Em 1982, liderei a primeira greve por pagamentos em dia, tínhamos outras reivindicações, mas essa era a principal. Continuamos a luta... Construímos o nosso estatuto, que foi muito modificado pelo advogado da prefeitura, fazíamos protestos abanando carteiras vazias, eram muitas reuniões no CTG Campeiros do Sul e eu defendia a proposta de desfilarmos de preto em protesto, mas perdi. E perdi o meu pai, aquele que sempre me ensinou a ser tudo que eu sou. A lutar pelos meus ideais. Tinha falecido em 16 de setembro de 1988. No dia do protesto, que eu havia defendido na assembléia: de desfilarmos todos de preto, em luto pelo respeito à categoria, eu estava mesmo de luto! Ele ainda me faz muita falta!
Bem, vamos lá! Nessa época, veio o construtivismo, fiz vários cursos. Em 1989 troquei de escola, fiz a minha última greve no município, fui afastada com processo judicial (gancho de um mês sem salários). Tinha uma advogada, ótima, que me reintegrou ao quadro e fez com que pagassem meus salários e que nada constasse na minha ficha funcional. Foi a minha maior vitória! No final, acabamos fundando o SIMA, (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada).
Em 1993, fui nomeada no Estado e convidada para ser diretora da E.M.E.F. Frederico Dihl. No ano seguinte não quis mais ser diretora e assumi a vice-direção da E.E.E.F. Nossa Senhora do Carmo, acumulava vários Cargos, trabalhava 60 horas semanais.
Em 1995, troquei novamente de escola, fui para o Jango somente pela manhã e à noite trabalhava com o Supletivo, no Podalírio Inácio de Barcellos. Estava de volta à sala de aula, com muitas idéias sobre as formas de trabalhar e avaliar, não só os alunos, mas a mim mesma enquanto educadora.
Em 1996, Alvorada elegeu a professora Stela à Prefeitura e tudo o que eu e a Valquiria (minha colega) queríamos, era ter o SEJA aqui. Começava outra luta... Visitamos escolas de Porto Alegre, fizemos formação na SMED todas às quartas-feiras, líamos Paulo Freire, Celso Vasconcellos, Miguel Arroyo, e outros tantos. Eram vídeos, palestras, conferências e ao mesmo tempo iniciavam as Constituintes Escolares no município e logo depois na escola do estado. Trabalhei como uma doida, pois sabia que aquela era a hora de colocarmos no papel e garantir todos os nossos sonhos.
Em 1999 "éramos seis", e estávamos trabalhando com o SEJA regulamentado pelo CEED. Lembro uma noite, um encontro com a Professora Conceição que trabalhava na Ilha Grande dos Marinheiros em Porto Alegre, saí da reunião com a Vaquiria. Eu estava triste, ia quase chorando, ela, a Conceição, não tinha dito "como fazer" e todos sempre diziam. Mas ela não, ela não disse... Quando chegamos à parada do ônibus, sempre ficávamos conversando enquanto o seu ônibus não vinha. Olhei para ela e disse: Que droga! E agora? O que vamos fazer? Ela tentava me consolar e foi naquele exato instante que compreendi que não há nenhuma fórmula, o quê fazer se dá na prática, e que somente através dela é que aprendemos a fazer (compreendi o que o Paulo Freire dizia...). Fui para casa, atravessei a praça da Prefeitura rindo, contente, cantarolando. Tinha finalmente aprendido – ah, e como levei anos para aprender aquilo!
Veio o decálogo, as pesquisas sócio-antropológicas, os complexos temáticos, os planejamentos: intuição, precisão, generalização, as atividades da vida cotidiana, os shows de talentos, as publicações do livro Alvorada para Todos, as revistas pedagógicas, dávamos palestras ... Como tudo isso faz parte de mim!
Nos anos oitenta, fiz Matemática na PUC. Em 2001, ingressei na ULBRA e já estava no 5º semestre de Letras, quando sofri um acidente horrível na Tabaí-Canoas. Não houve vítimas fatais, mas aquilo me fez desistir da faculdade. Ainda gosto de viajar de carro, mas estudar aqui ao lado da minha casa e na UFRGS é muuuuuuito melhor!
Bah! esqueci da ousadia, puts!
Tenho ousadia?
Quando leio o estímulo ao nosso trabalho, lembro de Freire e Ira Shor, escreveram Medo e Ousadia: o cotidiano do professor. Foi um dos livros que li à época das constituintes.
O texto ficou enorme, mas são décadas de história e ainda tenho muito a contar!

quarta-feira, 27 de setembro de 2006

Escola Virtual II



Em 25 de agosto tivemos a I Confência Literária em comemoração ao Centenário de Quintana.
Contamos com a presença da herdeira da obra do Poeta Mario Quintana, Elena Quintana.
Foi Brilhante!

domingo, 24 de setembro de 2006

Escola Virtual




Hoje entrei no pbwiki e encontrei mais uma tarefa: A construção de uma página para apresentar a Nossa Escola (virtualmente).
Adorei a tarefa, como estou nesse curso pela escola estadual, logo tratei de iniciar a apresentação. Pena que não tenho fotos aqui em casa, mas na seunda-feira farei as postagens.
Espero compartilhar com todos o trabalho que estamos desenvolvendo lá.


Um abraço

sábado, 16 de setembro de 2006

Teremos Aula no Pólo!!!!!


Na próxima semana estaremos juntos novamente ao vivo e a cores!
Eba!!!!!
Estou com saudades...
Abraços a todos.
Fernando de Noronha

sábado, 9 de setembro de 2006

Tema de Casa II


Usar imagens impactantes e cheias de significações!
Oh, meu Deus!


Pensei em colocar uma dessas fotos de crianças portando uma arma, mas isso seria uma verdadeira aberração, optei pelo anjo que espero nos ilumine nessa árdua, mas prazerosa caminhada!

Um abraço e um fim de semana revigorante a todos nós!

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Tema de Casa

Como é difícil fazer essas coisas!
Principalmete quando eu quero fazer certo e não tenho certeza de nada...
De qualquer forma aqui vai a minha 1ª tentativa de postagem!

quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Bom Início

" Ninguém começa a ser educador numa certa terça-feira as quatro horas da tarde. Ninguém nasce educador ou marcado para ser educador.
A gente se forma, como educador, permanentemente, na prática e na reflexão sobre a prática."

Paulo Freire

Estou extremamente feliz em estar aqui!!!

Esta oportunidade é ímpar.

Desejo sucesso a todos nós!

Abraços

Ivana