domingo, 28 de março de 2010

"Homo Zappiens"


Ao tentar aprimorar o meu esboço de Arquitetura Pedagógica, recorri a web e encontrei um artigo muito interessante do CINTED/UFRGS, disponível em http://www.cinted.ufrgs.br/renote/dez2009/artigos/13c_graselsilveira.pdf, ao ler, compreendi a relutância da direção da Escola em permitir que se use a sala de informática sem o auxílio de um "especialista" para nos "auxiliar", talvez, eles tenham medo de que as crianças estraguem as máquinas, mas se esquecem que "Nossos alunos são nativos digitais, fazem parte da geração instantânea e exercem domínio sobre os recursos tecnológicos com significativa facilidade. Conectados à Internet passam literalmente pelo processo de virtualização, pois não estão simplesmente em frente ao computador; eles estão sobretudo em diversos outros espaços virtuais. Jovens e crianças contemporâneos ampliam sua rede social no ‘mundo real’ e no ‘mundo digital’. Transitam nesses mundos sem dificuldade. Sua performance engloba ‘tudo agora e ao mesmo tempo’: ouvir música, assistir TV, conversar num chat, atualizar o perfil em sua rede social na web, escrever no caderno e etc. Frente à avalanche de inovações tecnológicas a escola continua muitas vezes limitada a ensinar no espaço da sala de aula, utilizando o quadro negro e o giz."
Lembrei de um vídeo disponibilizado pelas professoras Bea e Iris no espaço "Para Pensar", indicado pela Tutora Grace, que mostra a experiência de crianças na Índia frente ao computador colocado em "um buraco no muro". Assistam é muito interessante.


2 comentários:

mauranunes.com disse...

Poi é Ivana, interessante esta citação que colocaste, muitos deveriam ler este artigo, não é mesmo?! Agora te pergunto, qual a tua reflexão a partir do texto, desta passagem que colocaste aqui, e que relação fazes com a AP que propuseste? Bjs, Maura - tutora do SI

Biapedag disse...

Ivana querida!
Nem imaginas como essa tua postagem começa a me auxiliar!
Uma hora eu te conto. Agora...obrigada!